Avançar para o conteúdo principal

Qual é o Melhor Tipo de Caseína?

A caseína é uma proteína que está presente no leite de vaca e é composta por quatro frações: alfa-s1, alfa-s2, beta e capa-caseína. Essas quatro caseínas representam entre 76 a 86% de toda a proteína presente no leite (1, 2).

A função biológica das micelas de caseína parece ser transportar grandes quantidades de fosfato de cálcio, que é altamente insolúvel em líquidos e forma um coágulo no estômago de forma a optimizar a sua absorção (3).

Vários estudos comprovam que as proteínas do leite podem proporcionar benefícios para a saúde e ainda estimular uma maior síntese de proteína muscular em comparação com outras proteínas, sobretudo quando ingeridas ao redor do horário de treino (proteína whey) e antes de deitar (caseína) (4).

A proteína whey e a caseína são também consideradas proteínas de alta qualidade e superiores à maioria das outras fontes alimentares de proteína em termos de perfil de aminoácidos, digestibilidade e biodisponibilidade (5, 6).

Qual é o melhor tipo de caseína?

A caseína é considerada uma proteína de digestão lenta e por esse motivo é muito frequente recomendar-se a sua ingestão antes de deitar, no entanto, existem vários tipos diferentes de caseína, que têm velocidades de digestão diferentes.

Portanto, para tentar responder a esta questão, vamos ver quais são os suplementos que contêm caseína e as principais diferenças entre eles.

Concentrado de proteína do leite, ou em inglês “Milk Protein Concentrate” é produzido através do método de ultrafiltração que concentra o leite magro pasteurizada. A este método segue-se muitas vezes a diafiltração e/ou evaporação. Os concentrados de proteína de leite podem conter entre 35% a 90% de proteína (7, 8).

Caseína micelar (micellar casein): Esta é a forma nativa de caseína e também a que se encontra no leite e outros lacticínios, incluindo queijos.

A caseína micelar pode ser extraída de concentrados de proteína de leite por métodos de ultrafiltração. Também pode ser obtida através do leite magro por precipitação ácida ou coagulação enzimática, lavagem e secagem.

Alguns estudos sugerem que a caseína micelar, é digerida de forma consideravelmente mais lenta e também é absorvida em maior quantidade, em comparação com o caseinato de cálcio (9).

Caseinatos (caseinato de cálcio e caseínato de sódio) Os caseínatos são produzidos processando a caseína micelar através da acidificação e depois neutralizando-a com substâncias alcalinas como o hidróxido de sódio ou hidróxido de cálcio.

Este tipo de processamento altera o padrão de absorção da caseína, tornando a sua digestão significativamente mais rápida em comparação com a caseína micelar (9).

Hidrolizado de caseína (Peptopro):  É um tipo de caseína que foi pré-digerida através de exposição a enzimas proteolíticas. É digerida de forma muito mais rápida, a uma velocidade idêntica à da proteína whey (10). No entanto, o seu efeito na síntese de proteína muscular não é tão potente como o da proteína do soro de leite (11).

Para além de lacticínios e de suplementos de proteína, a caseína também pode estar presente em outros alimentos processados, tais como produtos de confeitaria, gelados, sobremesas, fórmulas infantis, bebidas desportivas, etc (12).

Conclusão

É importante prestar atenção aos rótulos/informação nutricional dos suplementos que adquirimos. Pois, como pode ver, os suplementos de caseína não são todos iguais.

Vários suplementos de caseína contém apenas caseínato de cálcio, que têm uma absorção mais rápida, outros contêm uma mistura de caseína micelar com caseína de cálcio.

Uma vez que vários estudos comprovaram que a ingestão de uma quantidade de proteína de absorção lenta antes de deitar, tal como a caseína micelar, proporciona um efeito anti-catabólico e uma maior síntese de proteína muscular, faz todo o sentido optar pela aquisição de um suplemento que contenha apenas caseína micelar ou, em alternativa, um concentrado de proteína de leite com uma concentração de proteína de 90%.

Para além disso, não faz sentido adquirir um hidrolisado de caseína para ingerir no pré ou pós-treino quando já ficou comprovado que a proteína whey proporciona resultados superiores (11).

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Quanta proteína é possível absorver por refeição?

Dentre a série de tópicos relativamente controversos englobados no mundo da nutrição temos a questão da quantidade de proteína que o corpo humano consegue absorver no seguimento de uma dada refeição. Relacionado com a mesma temática, temos a questão da definição da quantidade de proteína que idealmente se deve ingerir após a execução de um treino resistido, com vista a maximizar a síntese de proteína muscular. Estudos publicados até há poucos anos concluíram que a ingestão de 20 a 25 g de proteína de boa qualidade (whey, proteína do leite, ou proteína de ovo) após um treino de musculação direcionado à musculatura dos membros inferiores seria o suficiente para maximizar a síntese de proteína muscular em adultos jovens e saudáveis, sendo que em doses superiores os aminoácidos “excedentários” seriam simplesmente oxidados. 1,2   Entretanto, em 2016, os autores Macnaughton et al. 3 verificaram que a suplementação com 40 g de proteína whey após uma sessão de treino de musculação de corpo i

É Melhor Perder Peso de Forma Rápida ou Lenta?

A perda de gordura pode proporcionar vários benefícios para a saúde daqueles que têm excesso de peso. ¹⁻² e é uma necessidade imperativa para atletas de determinados desportos e para aqueles que participam em competições de culturismo e similares.³ No entanto, independentemente do ritmo a que se perde peso, há uma série de consequências negativas que são praticamente impossíveis de evitar. Esses efeitos indesejáveis incluem a diminuição da taxa metabólica basal em repouso,⁴ dos níveis de testosterona,⁵ perda de massa magra,⁶ e diminuição da força muscular.⁷⁻⁸ De forma a minimizar esses efeitos negativos, são muitos aqueles que evitam as dietas mais drásticas, do tipo yo-yo e que, em vez disso, aconselham uma perda de peso lenta, por exemplo, de 0,5 kg de peso corporal, por semana.³ O que diz a ciência? Já foram conduzidos variados estudos que procuraram determinar qual a velocidade de perda de peso que melhor preserva a taxa metabólica, a massa magra, bem como os níveis de testosterona

Qual é a Quantidade de Proteína Ideal para Maximizar a Força e a Massa Muscular?

Tipicamente, os praticantes de musculação almejam obter um físico que, para além de exibir uma percentagem de gordura corporal relativamente baixa, apresente uma musculatura visivelmente desenvolvida, frequentemente ao maior nível possível. Para além destes, e sobretudo com vista a maximizar o seu rendimento, os atletas de desportos de força, assim como os praticantes de outras modalidades desportivas também se interessam particularmente por esta temática.  Neste contexto, os nutricionistas que de algum modo trabalham com estes indivíduos, devem ser capazes de os aconselhar relativamente à quantidade de proteína ideal para maximizar os ganhos de força e de massa muscular, naqueles que executam treino resistido. Será necessária uma dose de proteína superior à recomendada pela EFSA - Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (0,83 g/kg peso)¹ para maximizar os ganhos de força e a hipertrofia muscular em adultos jovens?  Este tópico tem vindo a ser investigado de forma relativame