Avançar para o conteúdo principal

Quais Alimentos Contêm Glúten

As dietas sem glúten têm vindo a tornar-se cada vez mais populares e a venda de produtos específicos sem glúten está a disparar em todo o mundo, especialmente nos países mais desenvolvidos.

Uma das principais dúvidas que as pessoas têm em relação ao glúten, é quais são os alimentos que contêm glúten e também quais são aqueles que não contêm esta proteína e que podem ser ingeridos de forma segura.

O glúten é uma proteína que está presente nos cereais, mas não em todos, e na verdade, não necessita de adquirir produtos (caros) especialmente formulados de forma a não conter glúten, para evitar a ingestão dessa substância.

Para ajudar os leitores mais desinformados, mais abaixo incluímos uma lista dos alimentos que contêm glúten, e os que não contêm.

Como é óbvio, todos, ou praticamente todos os produtos alimentares os cereais ou derivados dos cereais que contêm glúten, também irão conter essa proteína, como por exemplo o pão, macarrão, biscoitos, etc. E deverão ser evitados, se o objetivo for eliminar o glúten da dieta.

Alimentos sem glúten Alimentos com glúten
 Cereais Cereais
 Milho Trigo (Espelta, semolina, duro)
Arroz Centeio
 Sorgo Cevada
 Aveia * Triticale
Cereais pequenos Kamut®
Fonio Malte
 Teff  
 Milhete  
 Teosinte  
 Job’s tears  
 Pseudo-cereais  
 Trigo sarraceno  
 Quinoa  
 Amaranto  
Vegetais  
Frutas  
Leguminosas  
Nozes  
 Outros alimentos vegetais  
 Tapioca  
 Soja  
 Batata  
 Tubérculos  
Óleos vegetais  
 Alimentos de origem animal  
Lacticínios  
Carne  
Peixe  
Ovo  
Manteiga  

Fonte: The Gluten Free Diet: Safety and Nutritional Quality

Como pode ver, existe um bom número de cereais que não contêm glúten, tal como o arroz, milho e aveia, e em princípio poderá ingeri-los sem precisar de se preocupar com o glúten.

Isto é, desde que esses alimentos não tenham sido contaminados com glúten durante o seu processamento, o que poderá ocorrer por exemplo com a aveia. No entanto, também existem marcas de aveia que garantem ser completamente isentas de glúten.

Note também que alguns suplementos, especialmente suplementos de proteína mais baratos, também podem conter glúten. Isto acontece porque várias marcas incluem proteína de trigo nas suas fórmulas de proteína, de forma a poderem reduzir o custo de venda deste tipo de suplementos.

Ainda que o principal tipo de proteína presente nesses suplementos seja a whey concentrada, ou outras formas de whey, a proteína de trigo (muito mais barata) pode chegar a constituir até mais de 40% do produto.

Mantenha em mente que os concentrados e isolados de proteínas lácteas como a whey e caseína têm um valor de mercado bastante elevado. Portanto, deverá sempre desconfiar dos suplementos de proteína com um valor abaixo do normal.

Agora já sabe, se é doente celíaco ou sofre de algum tipo de intolerância ao glúten e pretende mesmo evitar o glúten, tenha o cuidado de ler o rótulo/lista de ingredientes de todos os alimentos e suplementos antes de os adquirir. Em caso de dúvida, consulte o seu médico ou nutricionista.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Quanta proteína é possível absorver por refeição?

Dentre a série de tópicos relativamente controversos englobados no mundo da nutrição temos a questão da quantidade de proteína que o corpo humano consegue absorver no seguimento de uma dada refeição. Relacionado com a mesma temática, temos a questão da definição da quantidade de proteína que idealmente se deve ingerir após a execução de um treino resistido, com vista a maximizar a síntese de proteína muscular. Estudos publicados até há poucos anos concluíram que a ingestão de 20 a 25 g de proteína de boa qualidade (whey, proteína do leite, ou proteína de ovo) após um treino de musculação direcionado à musculatura dos membros inferiores seria o suficiente para maximizar a síntese de proteína muscular em adultos jovens e saudáveis, sendo que em doses superiores os aminoácidos “excedentários” seriam simplesmente oxidados. 1,2   Entretanto, em 2016, os autores Macnaughton et al. 3 verificaram que a suplementação com 40 g de proteína whey após uma sessão de treino de musculação de corpo i

É Melhor Perder Peso de Forma Rápida ou Lenta?

A perda de gordura pode proporcionar vários benefícios para a saúde daqueles que têm excesso de peso. ¹⁻² e é uma necessidade imperativa para atletas de determinados desportos e para aqueles que participam em competições de culturismo e similares.³ No entanto, independentemente do ritmo a que se perde peso, há uma série de consequências negativas que são praticamente impossíveis de evitar. Esses efeitos indesejáveis incluem a diminuição da taxa metabólica basal em repouso,⁴ dos níveis de testosterona,⁵ perda de massa magra,⁶ e diminuição da força muscular.⁷⁻⁸ De forma a minimizar esses efeitos negativos, são muitos aqueles que evitam as dietas mais drásticas, do tipo yo-yo e que, em vez disso, aconselham uma perda de peso lenta, por exemplo, de 0,5 kg de peso corporal, por semana.³ O que diz a ciência? Já foram conduzidos variados estudos que procuraram determinar qual a velocidade de perda de peso que melhor preserva a taxa metabólica, a massa magra, bem como os níveis de testosterona

Qual é a Quantidade de Proteína Ideal para Maximizar a Força e a Massa Muscular?

Tipicamente, os praticantes de musculação almejam obter um físico que, para além de exibir uma percentagem de gordura corporal relativamente baixa, apresente uma musculatura visivelmente desenvolvida, frequentemente ao maior nível possível. Para além destes, e sobretudo com vista a maximizar o seu rendimento, os atletas de desportos de força, assim como os praticantes de outras modalidades desportivas também se interessam particularmente por esta temática.  Neste contexto, os nutricionistas que de algum modo trabalham com estes indivíduos, devem ser capazes de os aconselhar relativamente à quantidade de proteína ideal para maximizar os ganhos de força e de massa muscular, naqueles que executam treino resistido. Será necessária uma dose de proteína superior à recomendada pela EFSA - Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (0,83 g/kg peso)¹ para maximizar os ganhos de força e a hipertrofia muscular em adultos jovens?  Este tópico tem vindo a ser investigado de forma relativame