Avançar para o conteúdo principal

Os Laxantes Ajudam a Perder Gordura?

Quando se trata de perder peso /gordura algumas pessoas tornam-se suficientemente criativas ao ponto de usaram laxantes.

Os laxantes são substâncias usadas para amolecer as vezes, acelerar o trânsito intestinal e combater a obstipação intestinal, sendo que o seu uso excessivo provoca diarreia.

Pois parece que está na moda (especialmente entre as mulheres) recorrer aos laxantes, também chamados de purgativos, para eliminar os quilos /gordura a mais de forma rápida e sem esforço.

Afinal de contas, se o seu sistema digestivo não tiver tempo para absorver as calorias, gorduras/açúcares que ingere, então irá acabar por perder peso e gordura, certo?

Na verdade, embora as pessoas que usam laxantes para perder peso (que muitas vezes sofrem de anorexia nervosa e bulimia nervosa) abusem dos laxantes com frequência, estes agem no sentido de acelerar o trânsito dos nutrientes ao longo do intestino grosso, que ocorre após a subsequente absorção da maioria dos nutrientes no intestino delgado.

Assim sendo, vários estudos que analisaram o abuso de laxantes verificaram que os seus efeitos no peso corporal refletem principalmente perdas temporárias de água em vez de perda de energia (calorias) (1).

Efeitos secundários dos laxantes

Os laxantes orais podem interferir com a absorção de nutrientes e também conduzir a uma desequilíbrio eletrolítico, especialmente após o seu uso prolongado.

Os eletrólitos, que incluem o cálcio, cloro, potássio e sódio, regulam as contrações musculares, o ritmo cardíaco, funcionamento dos nervos, equilíbrio dos fluídos e outras funções corporais.

Um desequilíbrio eletrolítico pode provocar ritmos cardíacos anormais, fraqueza, confusão e convulsões.

Esses desequilíbrios eletrolíticos ou de fluídos podem chegar a ser potencialmente fatais, podendo provocar também desidratação, hipocalemia e acidose metabólica, bem como paralisia intestinal, síndrome do intestino irritável, pancreatite, falha renal (problemas nos rins), diarreia fictícia e outros problemas.

Portanto, se preza a sua saúde, evite usar este tipo de substâncias a menos que tenha realmente alguma condição médica que realmente o justifique.

Conclusão

O que muitas pessoas não sabem é que os laxantes provocam perda de peso devido à maior quantidade de água perdida através das fezes, mas não confunda perda de água com perda de gordura.

Na verdade, a perda de gordura irá ser praticamente nula e  assim que deixar de tomar laxantes e re-hidratar o seu corpo, este irá retornar ao seu peso anterior.

Em suma, tudo o que você irá conseguir com o uso de laxantes é andar mais desidratada/o e ter que frequentar o WC com maior frequência.

A forma mais eficiente e saudável de perder gordura continua a ser através da combinação de um programa de treino com uma alimentação equilibrada, adequada às suas necessidades e objetivos.

Em vez de seguir modas e truques estranhos, comece desde já a melhorar os seus hábitos alimentares e a optar por alimentos menos calóricos e processados. Desta forma irá conseguir evitar o excesso de peso durante muito mais tempo e sem prejudicar a sua saúde.

Referência!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Quanta proteína é possível absorver por refeição?

Dentre a série de tópicos relativamente controversos englobados no mundo da nutrição temos a questão da quantidade de proteína que o corpo humano consegue absorver no seguimento de uma dada refeição. Relacionado com a mesma temática, temos a questão da definição da quantidade de proteína que idealmente se deve ingerir após a execução de um treino resistido, com vista a maximizar a síntese de proteína muscular. Estudos publicados até há poucos anos concluíram que a ingestão de 20 a 25 g de proteína de boa qualidade (whey, proteína do leite, ou proteína de ovo) após um treino de musculação direcionado à musculatura dos membros inferiores seria o suficiente para maximizar a síntese de proteína muscular em adultos jovens e saudáveis, sendo que em doses superiores os aminoácidos “excedentários” seriam simplesmente oxidados. 1,2   Entretanto, em 2016, os autores Macnaughton et al. 3 verificaram que a suplementação com 40 g de proteína whey após uma sessão de treino de musculação de corpo i

É Melhor Perder Peso de Forma Rápida ou Lenta?

A perda de gordura pode proporcionar vários benefícios para a saúde daqueles que têm excesso de peso. ¹⁻² e é uma necessidade imperativa para atletas de determinados desportos e para aqueles que participam em competições de culturismo e similares.³ No entanto, independentemente do ritmo a que se perde peso, há uma série de consequências negativas que são praticamente impossíveis de evitar. Esses efeitos indesejáveis incluem a diminuição da taxa metabólica basal em repouso,⁴ dos níveis de testosterona,⁵ perda de massa magra,⁶ e diminuição da força muscular.⁷⁻⁸ De forma a minimizar esses efeitos negativos, são muitos aqueles que evitam as dietas mais drásticas, do tipo yo-yo e que, em vez disso, aconselham uma perda de peso lenta, por exemplo, de 0,5 kg de peso corporal, por semana.³ O que diz a ciência? Já foram conduzidos variados estudos que procuraram determinar qual a velocidade de perda de peso que melhor preserva a taxa metabólica, a massa magra, bem como os níveis de testosterona

Qual é a Quantidade de Proteína Ideal para Maximizar a Força e a Massa Muscular?

Tipicamente, os praticantes de musculação almejam obter um físico que, para além de exibir uma percentagem de gordura corporal relativamente baixa, apresente uma musculatura visivelmente desenvolvida, frequentemente ao maior nível possível. Para além destes, e sobretudo com vista a maximizar o seu rendimento, os atletas de desportos de força, assim como os praticantes de outras modalidades desportivas também se interessam particularmente por esta temática.  Neste contexto, os nutricionistas que de algum modo trabalham com estes indivíduos, devem ser capazes de os aconselhar relativamente à quantidade de proteína ideal para maximizar os ganhos de força e de massa muscular, naqueles que executam treino resistido. Será necessária uma dose de proteína superior à recomendada pela EFSA - Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (0,83 g/kg peso)¹ para maximizar os ganhos de força e a hipertrofia muscular em adultos jovens?  Este tópico tem vindo a ser investigado de forma relativame