Avançar para o conteúdo principal

Os Benefícios do Café

O café não é apenas uma bebida quente e estimulante. Na verdade, aquela que é uma das bebidas mais consumidas do planeta pode proporcionar vários benefícios, incluindo para a saúde, que a maioria das pessoas desconhece.

Ao longo dos últimos anos e décadas, cientistas têm vindo a estudar os efeitos do café em vários aspetos da saúde e os seus resultados são surpreendentes.

Aqui estão 11 motivos pelo qual o café pode na verdade ser uma das bebidas mais saudáveis do planeta.

O café pode torna-lo mais inteligente

O café não só o faz ficar mais alerta como também o pode tornar literalmente mais inteligente.

O ingrediente ativo no café é a cafeína, que é uma substância estimulante e substância psicoativa mais consumida do planeta.

O principal mecanismo de ação da cafeína é bloqueando os efeitos de um neurotransmissor inibidor chamado adenosina.

Ao bloquear os efeitos inibidores da adenosina, a cafeína aumenta a atividade neuronal no cérebro e liberta outros neurotransmissores como a dopamina e a norepinefrina (1,2).

Já foram realizados muitos estudos controlados que examinaram os efeitos da cafeína no cérebro e demonstraram que a cafeína pode melhorar o estado emocional, tempo de reação, memória, vigilância e funcionamento cognitivo geral (3).

O café promove a perda de gordura

Sabia que a cafeína está presente em praticamente todos os suplementos para perda de gordura?

Existe uma razão para isso... a cafeína é uma das poucas substâncias naturais que realmente promove uma maior queima de gordura.

Vários estudos comprovaram que a cafeína pode aumentar o ritmo metabólico por 3-11% (4,5)

Outros estudos mostraram que a cafeína pode aumentar especificamente a queima de gordura, em até 10% em indivíduos obesos e até 29% em pessoas com níveis reduzidos de gordura.

No entanto, é possível que esses efeitos possam menos notórios naqueles que consomem bebidas que contêm cafeína há bastante tempo.

O café pode aumentar o rendimento desportivo

A cafeína estimula o sistema nervoso, fazendo com que este sinalize as células adiposas para que estas degradem o se tecido adiposo e libertem ácidos gordos na corrente sanguínea para depois poderem serem utilizados como combustível. 6, 7, 8).

Mas a cafeína também aumenta os níveis de epinefrina (Adrenalina) no sangue. (9).

A adrenalina é a hormona de "lutar ou fugir", concebida para preparar os nossos corpos para realizar atividades físicas intensas.

Dado esses efeitos, não é de surpreender que a cafeína possam aumentar o rendimento físico por uma média de 11-12% (10-11).

Por causa disso, faz sentido beber uma xícara de café forte cerca de meia hora antes de começar o seu treino.

O café pode diminuir o risco de diabetes tipo 2

A diabetes tipo 2 é uma doença que está relacionada com o estilo de vida e que atingiu proporções épicas, sendo que a sua prevalência aumentou mais de 10 vezes e agora afeta mais de 300 milhões de pessoas.

Esta doença é caraterizada por níveis elevados de glucose no sangue provocados pela resistência à insulina ou devido a uma produção insuficiente de insulina.

Em estudos observacionais, verificou-se que o consumo de café está repetidamente associado a um menor risco de vir a sofrer de diabetes. A redução do risco varia de 23% até aos 67% (12,13,14,15).

Um artigo de revisão analisou um total de 18 estudos, com um total de 457.922 participantes. Cada xícara adicional de café por dia diminuiu o risco de diabetes por 7%. Quando maior a quantidade de café que as pessoas beberam, menor foi o seu risco (16).

O café pode reduzir o risco de Alzheimer e Parkinson

O café não só o pode tornar mais inteligente a curto prazo, como também pode proteger o seu cérebro numa idade mais avançada.

A doença de Alzheimer é a desordem neurodegenerativa mais comum no mundo e a principal causa de demência.

Em estudos prospetivos, as pessoas que ingeriam café tinham até menos 60% de risco de virem a sofrer de Alzheimer e de demência (17,18,19).

O Parkinson é a segunda causa mais comum de desordem neurodegenerativa e é caracterizada pela morte de neurónios produtores de dopamina no cérebro. O café pode reduzir o risco de Parkinson por 32-60% (20,21,22,23).

O café pode ser benéfico para o fígado

O fígado é um órgão notável que realiza centenas de funções vitais no organismo. No entanto, é também bastante vulnerável a insultos como o consumo excessivo de álcool e de açúcares refinados.

A cirrose é o estágio final de danos no fígado provocados por doenças como o alcoolismo e a hepatite, no qual o tecido do fígado foi em grande parte substituído por tecido cicatrizado.

Múltiplos estudos mostraram que o café pode diminuir o risco de cirrose em até 80%, sendo que o efeito foi mais forte para aqueles que bebiam 4 ou mais xícaras de café por dia (24,25,26).

Para além disso, o café também pode diminuir até 40% o risco de vir a sofrer de cancro no fígado (27,28).

O café pode reduzir o risco de depressão

A depressão é uma desordem mental séria que provoca uma redução significativa da qualidade de vida. É incrivelmente comum e uma das principais causas de absentismo laboral (29).

Num estudo realizado em Harvard e que foi publicado em 2011, as mulheres que beberam 4 ou mais xícaras por dia tiverem um risco 20% de sofrer de depressão (30).

Outro estudo, no qual participaram 208,424 indivíduos, verificou que aqueles que ingeriram 4 ou mais xícaras por dia tiveram menos 53% de probabilidades de cometer suicídio (31).

O café pode reduzir o risco de alguns tipos de cancro

O cancro é uma das principais causas de morte no mundo e é caracterizado por um crescimento descontrolado de células anormais no corpo.

O café parece oferecer alguma proteção contra dois tipos de cancro... o cancro do fígado e o cancro colo-rectal. O cancro do fígado é a terceira causa de morte no mundo, enquanto o cancro colo-rectal é a quarta (32).

Alguns estudos mostram que os consumidores de café têm um risco até 40% menor de virem a sofrer de cancro do fígado (33,34).

Um estudo, no qual participaram 489,706 indivíduos, verificou que aqueles que beberam 4-5 xícaras de café por dia tiveram um risco 15% menor de sofrer de cancro colo-rectal (35).

O café não provoca problemas cardiovasculares

Afirma-se com frequência que a cafeína pode aumentar a tensão arterial e isso é verdade, mas o efeito é pequeno (3-4 mm/Hg) e normalmente desaparece quando as pessoas bebem café com regularidade (36,37).

No entanto, esse efeito pode persistir em algumas pessoas, portanto mantenha isso em mente se tiver tensão arterial elevada (38,39).

Dito isto, os estudos realizados até hoje não suportam a teoria de que o café aumenta o risco de doenças cardiovasculares (40,41).

De fato, existem algumas provas de que as mulheres que bebem café têm um risco menor de virem a sofrer de problemas cardiovasculares (42).

Alguns estudos também mostram que os consumidores de café têm um risco 20% menor de virem a sofrer de um AVC (43,44).

O café pode diminuir o seu risco de morte

Parece que muitas pessoas ainda acreditam que o café faz mal à saúde, e isso não é de surpreender, uma vez que a sabedoria convencional vai muitas vezes contra o que os estudos afirmam.

Em dois estudos epidemiológicos prospetivos bastante grandes, o consumo de café foi associado a um menor risco de morte por todas as causas (44).

Este efeito foi particularmente notório na diabetes tipo 2 e um estudo mostrou que os consumidores de café tiverem um risco 30% menor de morte ao longo de um período de 20 anos (45).

O café contém nutrientes e antioxidantes

O café não é apenas água escura. A verdade é que muitos dos nutrientes que estão presentes nas sementes de café acabam por ir parar à bebida de café, que na verdade contem uma quantidade decente de vitaminas e minerais.


Uma xícara de café contem (46):

  • 6% da DDR (Dose Diária Recomendada) de Ácido Pantotênico (Vitamina B5).
  • 11% da DDR de Riboflavina (Vitamina B2).
  • 2% da DDR de Niacina (B3) e de Tiamina (B1).
  • 3% da DDR de Potássio e Manganésio.

Pode não parecer muito, mas se beber várias xícaras de café ao longo do dia, estes valores aumentam bastante.

Mas isto não é tudo. O café também contem uma grande quantidade de antioxidantes.

De fato, o café é a maior fonte de antioxidantes da dieta ocidental, ultrapassando as frutas e os vegetais combinados (47,48,49).

Conclusão

Mesmo apesar do consumo de quantidades moderadas de café ser bom para si, a ingestão de quantidades excessivas ainda pode ser prejudicial e o seu consumo pode afetar a qualidade do seu sono. Dito isto, se tem dificuldades em dormir, evite beber café depois das 14:00.

Também gostaria de ressaltar que muitos dos estudos referidos neste artigo foram do tipo epidemiológicos. Este tipo de estudos só podem indicar uma associação, não podem provar que o café causou os efeitos.

De forma a assegurar-se de que preserva os seus benefícios para a saúde, não adicione açúcar ou substâncias estranhas no seu café. Em vez disso use Stevia para adoçar o seu café.

Parece que afinal de contas o café não é o vilão que algumas pessoas imaginavam. De fato, o café parece mesmo ser uma das bebidas mais saudáveis que pode ingerir.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Quanta proteína é possível absorver por refeição?

Dentre a série de tópicos relativamente controversos englobados no mundo da nutrição temos a questão da quantidade de proteína que o corpo humano consegue absorver no seguimento de uma dada refeição. Relacionado com a mesma temática, temos a questão da definição da quantidade de proteína que idealmente se deve ingerir após a execução de um treino resistido, com vista a maximizar a síntese de proteína muscular. Estudos publicados até há poucos anos concluíram que a ingestão de 20 a 25 g de proteína de boa qualidade (whey, proteína do leite, ou proteína de ovo) após um treino de musculação direcionado à musculatura dos membros inferiores seria o suficiente para maximizar a síntese de proteína muscular em adultos jovens e saudáveis, sendo que em doses superiores os aminoácidos “excedentários” seriam simplesmente oxidados. 1,2   Entretanto, em 2016, os autores Macnaughton et al. 3 verificaram que a suplementação com 40 g de proteína whey após uma sessão de treino de musculação de corpo i

É Melhor Perder Peso de Forma Rápida ou Lenta?

A perda de gordura pode proporcionar vários benefícios para a saúde daqueles que têm excesso de peso. ¹⁻² e é uma necessidade imperativa para atletas de determinados desportos e para aqueles que participam em competições de culturismo e similares.³ No entanto, independentemente do ritmo a que se perde peso, há uma série de consequências negativas que são praticamente impossíveis de evitar. Esses efeitos indesejáveis incluem a diminuição da taxa metabólica basal em repouso,⁴ dos níveis de testosterona,⁵ perda de massa magra,⁶ e diminuição da força muscular.⁷⁻⁸ De forma a minimizar esses efeitos negativos, são muitos aqueles que evitam as dietas mais drásticas, do tipo yo-yo e que, em vez disso, aconselham uma perda de peso lenta, por exemplo, de 0,5 kg de peso corporal, por semana.³ O que diz a ciência? Já foram conduzidos variados estudos que procuraram determinar qual a velocidade de perda de peso que melhor preserva a taxa metabólica, a massa magra, bem como os níveis de testosterona

Qual é a Quantidade de Proteína Ideal para Maximizar a Força e a Massa Muscular?

Tipicamente, os praticantes de musculação almejam obter um físico que, para além de exibir uma percentagem de gordura corporal relativamente baixa, apresente uma musculatura visivelmente desenvolvida, frequentemente ao maior nível possível. Para além destes, e sobretudo com vista a maximizar o seu rendimento, os atletas de desportos de força, assim como os praticantes de outras modalidades desportivas também se interessam particularmente por esta temática.  Neste contexto, os nutricionistas que de algum modo trabalham com estes indivíduos, devem ser capazes de os aconselhar relativamente à quantidade de proteína ideal para maximizar os ganhos de força e de massa muscular, naqueles que executam treino resistido. Será necessária uma dose de proteína superior à recomendada pela EFSA - Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (0,83 g/kg peso)¹ para maximizar os ganhos de força e a hipertrofia muscular em adultos jovens?  Este tópico tem vindo a ser investigado de forma relativame