Avançar para o conteúdo principal

O Fast Food é Altamente Viciante

Muitas pessoas já sabiam disso por experiência própria, mas cada vez mais investigações científicas parecem comprovar as propriedades altamente viciantes do fast food (comida rápida em português).

Uma dessas investigações, publicada em 2013 verificou o que acontece ao cérebro de ratos quando são expostos a alimentos muito saborosos.

O efeito da ingestão de batatas fritas em ratos

Os ratos, tal como os seres humanos, exageram no consumo de alimentos muito saborosos, mesmo quando já estão saciados com alimentos menos saborosos, e alimentar ratos com "comida rápida" humana é uma das formas mais rápidas de os fazer engordar.

Uma vez que o cérebro controla todos os tipos de comportamento, a ingestão de alimentos também é uma expressão dos padrões de atividade cerebral.

Neste estudo, os investigadores colocaram dois grupos de ratos em dietas diferentes:

  • Um dos grupos recebeu uma ração normal para ratos.
  • Um segundo grupo recebeu a ração normal + batatas fritas.

Os ratos, tal como os seres humanos, adoram batatas-fritas, e tal como se esperava, o 2º grupo ingeriu uma grande quantidade de batatas-fritas ao longo de um período de 7 dias, o que aumentou de forma significativa a sua ingestão diária de calorias.

Durante esses 7 dias ocorreram mudanças impressionantes na atividade cerebral desses ratos. Mais abaixo pode ver uma imagem desse estudo. As regiões a vermelho tiveram um aumento da atividade, enquanto as regiões a azul sofreram uma diminuição da atividade.

Os ratos do 2º grupo sofreram uma diminuição da atividade das regiões cerebrais que regulam a homeostase energética, incluindo o núcleo arqueado do hipotálamo e do núcleo do trato solitário no tronco cerebral.

Estes dados são consistentes com a possibilidade de que a o consumo de alimentos muito saborosos podem "desligar" os mecanismos que normalmente previnem a ingestão excessiva de comida.

Uma vez que os seres humanos têm as mesmas estruturas cerebrais básicas que os ratos, isto é provavelmente o que acontece também no cérebro dos seres humanos quando consomem alimentos muito saborosos.

O sistema de recompensa cerebral é ativado, e as regiões que normalmente se iriam opor à ingestão de alimentos e ao aumento da gordura corporal podem ser desligadas em consequência disso.

Cheat meal e cheat day

Ao contrário de outros autores, sempre me opus à realização de cheat meals ou refeições “de lixo”, dia de lixo ou seja o que for que lhe chamem. Sempre me pareceu uma desculpa para cometer indulgências alimentares sem pensar nas consequências.

Mas o principal motivo para me opor às cheat meals tem a ver precisamente com as propriedades altamente viciantes dos alimentos ricos em gordura e/ou açúcar. Acontece que é muito provável que vá sentir mais desejos de cometer “deslizes” na dieta ao longo da semana se realizar cheat meals.

Para além disso, muitas pessoas afirmam que quanto mais tempo passam sem comer “porcarias” mais fácil se torna aderir e seguir uma dieta “limpa”, com alimentos não processados.

E também é essa filosofia que defendo em termos de dietas. Coma “limpo” durante bastantes semanas e quanto mais tempo passar, menos vontade irá ter de comer “porcarias” ou “fast-food”.

Falando por experiência pessoal, assim que começo a comer doces/sorvetes, torna-se muito difícil parar, e o que era suposto ser uma refeição do lixo pode passar rapidamente a ser um dia de descontrolo alimentar.

Para além disso, devido ao fato de serem altamente viciantes para mim, torna-se difícil, nos dias seguintes após ter ingerido doces, evitar pensar neles e comer uma quantidade exagerada, que não estava programada na dieta.

Acontece o mesmo a muitas pessoas, com os sorvetes ou com qualquer outro tipo de alimentos, tais como o chocolate, panificados, biscoitos, pizzas, hambúrgueres, etc.

Conclusão

Agora já sabe, evite completamente a “fast food”, comida de plástico como batatas-fritas, refrigerantes, biscoitos, chocolates, hamburgueres e siga uma dieta à base de comida a sério, ou seja, alimentos que sofreram pouco processamento até chegarem ao seu prato.

Evite também as refeições do lixo ou o dia do lixo. Esses deslizes previamente programados poderão provocar um descontrolo alimentar nos indivíduos mais sensíveis ao potencial viciante de determinados alimentos processados, isto devido em grande parte às mudanças da atividade cerebral que podem ocorrer após o seu consumo.

Desta forma, se seguir sempre uma dieta "limpa", ao longo do tempo irá adaptar o seu paladar e a dieta irá parecer-lhe cada vez mais fácil de seguir, até ao ponto em que alimentos com a batata-doce ou uma simples peça de fruta irão passar a ter um sabor muito doce.

Referência 1| Referência 2 | Referência 3

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Quanta proteína é possível absorver por refeição?

Dentre a série de tópicos relativamente controversos englobados no mundo da nutrição temos a questão da quantidade de proteína que o corpo humano consegue absorver no seguimento de uma dada refeição. Relacionado com a mesma temática, temos a questão da definição da quantidade de proteína que idealmente se deve ingerir após a execução de um treino resistido, com vista a maximizar a síntese de proteína muscular. Estudos publicados até há poucos anos concluíram que a ingestão de 20 a 25 g de proteína de boa qualidade (whey, proteína do leite, ou proteína de ovo) após um treino de musculação direcionado à musculatura dos membros inferiores seria o suficiente para maximizar a síntese de proteína muscular em adultos jovens e saudáveis, sendo que em doses superiores os aminoácidos “excedentários” seriam simplesmente oxidados. 1,2   Entretanto, em 2016, os autores Macnaughton et al. 3 verificaram que a suplementação com 40 g de proteína whey após uma sessão de treino de musculação de corpo i

É Melhor Perder Peso de Forma Rápida ou Lenta?

A perda de gordura pode proporcionar vários benefícios para a saúde daqueles que têm excesso de peso. ¹⁻² e é uma necessidade imperativa para atletas de determinados desportos e para aqueles que participam em competições de culturismo e similares.³ No entanto, independentemente do ritmo a que se perde peso, há uma série de consequências negativas que são praticamente impossíveis de evitar. Esses efeitos indesejáveis incluem a diminuição da taxa metabólica basal em repouso,⁴ dos níveis de testosterona,⁵ perda de massa magra,⁶ e diminuição da força muscular.⁷⁻⁸ De forma a minimizar esses efeitos negativos, são muitos aqueles que evitam as dietas mais drásticas, do tipo yo-yo e que, em vez disso, aconselham uma perda de peso lenta, por exemplo, de 0,5 kg de peso corporal, por semana.³ O que diz a ciência? Já foram conduzidos variados estudos que procuraram determinar qual a velocidade de perda de peso que melhor preserva a taxa metabólica, a massa magra, bem como os níveis de testosterona

Qual é a Quantidade de Proteína Ideal para Maximizar a Força e a Massa Muscular?

Tipicamente, os praticantes de musculação almejam obter um físico que, para além de exibir uma percentagem de gordura corporal relativamente baixa, apresente uma musculatura visivelmente desenvolvida, frequentemente ao maior nível possível. Para além destes, e sobretudo com vista a maximizar o seu rendimento, os atletas de desportos de força, assim como os praticantes de outras modalidades desportivas também se interessam particularmente por esta temática.  Neste contexto, os nutricionistas que de algum modo trabalham com estes indivíduos, devem ser capazes de os aconselhar relativamente à quantidade de proteína ideal para maximizar os ganhos de força e de massa muscular, naqueles que executam treino resistido. Será necessária uma dose de proteína superior à recomendada pela EFSA - Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (0,83 g/kg peso)¹ para maximizar os ganhos de força e a hipertrofia muscular em adultos jovens?  Este tópico tem vindo a ser investigado de forma relativame