Avançar para o conteúdo principal

É Possível Ganhar Músculo Depois dos 40?

Muitas pessoas de meia-idade acreditam que é difícil ou quase impossível ganhar uma quantidade substancial de massa muscular depois dos 40 anos. Mas felizmente essas pessoas estão enganadas e a realidade é outra.

Mas será que um indivíduo que já conta com mais de 40 anos pode treinar e comer como os jovens de 20 anos? Bem, poderá ficar surpreendido por saber que as coisas não mudam assim tanto como as pessoas pensam.

É possível ganhar músculo depois dos 40?

Neste artigo iremos proporcionar-lhe provas científicas de que os indivíduos de meia idade pode ganhar uma quantidade significativa de força e de massa muscular.

Como exemplo, um estudo realizado pela Universidade de Oklahoma recrutou 24 estudantes com idades entre os 18-22, e 25 homens de meia idade com 35 a 50 anos (1).

Todos eles seguiram o mesmo programa de treino de musculação durante 8 semanas, e através do método DEXA, os investigadores verificaram que os homens de meia idade ganharam tanta massa muscular como os jovens estudantes.

De fato, em média os voluntários de meia-idade até ganharam mais músculo, mas a diferença não foi significativa em termos estatísticos.

Os ganhos de força também foram bastante semelhantes entre os dois grupos:

  • Os homens de meia-idade aumentaram a sua força em 6,3 kg no exercício supino e 18 kg na leg press.
  • Os estudantes ganharam uma média de 3 kg de força no supino e 25 kg na leg press.

E as pessoas com mais de 60 anos?

Várias investigações indicam que os indivíduos com mais de 60 anos também são capazes de ganhar quantidades significativas de força e de massa muscular (2). E na verdade, a prática de musculação é uma excelente forma de combater a sarcopénia e a espiral negativa associada a este problema de saúde (3).

Portanto, é sim possível manter uma excelente forma física e um corpo funcional e saudável mesmo que já tenha passado da meia idade.

Dicas de treino para indivíduos de meia idade

Se já tem mais de 40 anos e ficou entusiasmado por descobrir que ainda não é demasiado tarde para ficar em forma, agora é provável que esteja com dúvidas em relação à melhor forma de o fazer.

Felizmente a idade não muda muito em termos de programação de um treino de musculação, e se está fora de forma, o melhor, independentemente da idade que tenha, é começar a treinar com pesos ligeiros e um número de repetições mais elevado.

Poderá depois passar para pesos progressivamente mais elevados e um número de repetições mais reduzido por série (entre 8 e 12), a um nível em que se sinta confortável e sem dores.

Não ignore os problemas lombares, dos joelhos ou outros problemas articulares:

Se tem problemas lombares, não realize movimentos muito pesados como o levantamento terra a menos que seja instruído a fazê-lo por um fisioterapeuta. O mesmo se aplica em relação ao agachamento para quem tem problemas lombares e nos joelhos, e ao exercício desenvolvimento com barra para quem tem problemas nas articulações dos ombros.

Terá que ajustar os seus treinos com a ajuda do seu fisioterapeuta e instrutor de musculação, de forma a poder treinar de acordo com as suas limitações e sem se lesionar.

Assegure-se de descansar o suficiente:

A recuperação é um dos aspetos mais importantes a ter em conta quando se pretende obter resultados no ginásio e evitar o excesso de treino.

Embora a idade não prejudique tanto o processo de recuperação como algumas pessoas pensam, as investigações científicas mostram que a idade pode fazer com que a recuperação demore mais tempo (4).

A solução é simples; assegure-se de dormir o suficiente, de ingerir a quantidade suficiente de proteína e de tirar uma semana de descanso a cada 6-8 semanas de treino.

Dicas de dieta para indivíduos de meia-idade

Tenho boas notícias para si: Não precisa de se preocupar com o seu metabolismo, ele está ótimo.

Uma crença comum entre as pessoas de meia idade é que o metabolismo diminui com o passar dos anos, o que torna impossível perder peso ou ganhar massa muscular. Mas isso não é verdade.

É verdade que a idade provoca alguma diminuição do ritmo metabólico, mas isso ocorre sobretudo devido à perda de massa magra (músculo) (5).

O músculo queima calorias e nós temos uma tendência natural a perder massa muscular à medida que envelhecemos (6). É por esse motivo que os nossos corpos queimam cada vez menos calorias ao longo do tempo.

A boa notícia é que é possível contrariar este processo degenerativo com a prática de musculação.

Por isso, se está a tentar perder alguma gordura, e desde que não sofra de nenhum problema metabólico sério como a síndrome metabólica, só tem que fazer o mesmo que todos os outros:

  • Seguir uma dieta com um ligeiro défice calórico.
  • Treinar da forma adequada.
  • Ser paciente.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Quanta proteína é possível absorver por refeição?

Dentre a série de tópicos relativamente controversos englobados no mundo da nutrição temos a questão da quantidade de proteína que o corpo humano consegue absorver no seguimento de uma dada refeição. Relacionado com a mesma temática, temos a questão da definição da quantidade de proteína que idealmente se deve ingerir após a execução de um treino resistido, com vista a maximizar a síntese de proteína muscular. Estudos publicados até há poucos anos concluíram que a ingestão de 20 a 25 g de proteína de boa qualidade (whey, proteína do leite, ou proteína de ovo) após um treino de musculação direcionado à musculatura dos membros inferiores seria o suficiente para maximizar a síntese de proteína muscular em adultos jovens e saudáveis, sendo que em doses superiores os aminoácidos “excedentários” seriam simplesmente oxidados. 1,2   Entretanto, em 2016, os autores Macnaughton et al. 3 verificaram que a suplementação com 40 g de proteína whey após uma sessão de treino de musculação de corpo i

É Melhor Perder Peso de Forma Rápida ou Lenta?

A perda de gordura pode proporcionar vários benefícios para a saúde daqueles que têm excesso de peso. ¹⁻² e é uma necessidade imperativa para atletas de determinados desportos e para aqueles que participam em competições de culturismo e similares.³ No entanto, independentemente do ritmo a que se perde peso, há uma série de consequências negativas que são praticamente impossíveis de evitar. Esses efeitos indesejáveis incluem a diminuição da taxa metabólica basal em repouso,⁴ dos níveis de testosterona,⁵ perda de massa magra,⁶ e diminuição da força muscular.⁷⁻⁸ De forma a minimizar esses efeitos negativos, são muitos aqueles que evitam as dietas mais drásticas, do tipo yo-yo e que, em vez disso, aconselham uma perda de peso lenta, por exemplo, de 0,5 kg de peso corporal, por semana.³ O que diz a ciência? Já foram conduzidos variados estudos que procuraram determinar qual a velocidade de perda de peso que melhor preserva a taxa metabólica, a massa magra, bem como os níveis de testosterona

Qual é a Quantidade de Proteína Ideal para Maximizar a Força e a Massa Muscular?

Tipicamente, os praticantes de musculação almejam obter um físico que, para além de exibir uma percentagem de gordura corporal relativamente baixa, apresente uma musculatura visivelmente desenvolvida, frequentemente ao maior nível possível. Para além destes, e sobretudo com vista a maximizar o seu rendimento, os atletas de desportos de força, assim como os praticantes de outras modalidades desportivas também se interessam particularmente por esta temática.  Neste contexto, os nutricionistas que de algum modo trabalham com estes indivíduos, devem ser capazes de os aconselhar relativamente à quantidade de proteína ideal para maximizar os ganhos de força e de massa muscular, naqueles que executam treino resistido. Será necessária uma dose de proteína superior à recomendada pela EFSA - Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (0,83 g/kg peso)¹ para maximizar os ganhos de força e a hipertrofia muscular em adultos jovens?  Este tópico tem vindo a ser investigado de forma relativame