Avançar para o conteúdo principal

As Vantagens da Proteína de Ovo

Em termos de suplementos de proteína, a whey é sem dúvida alguma a campeã de vendas e aquela que parece ter propriedades mais interessantes, sobretudo para aqueles que procuram maximizar os seus ganhos de massa muscular.

No entanto, a proteína de ovo, ou os suplementos de proteína de ovo também pode ser vantajosa em comparação com os tradicionais suplementos de proteína de leite, mas sobretudo em comparação com outras proteínas vegetais, de qualidade inferior.

Caso não possa incluir suplementos de whey e/ou de caseína na sua alimentação, incluir alguns ovos ou suplementar a sua dieta com proteína de ovo (albumina) poderá constituir uma alternativa mais conveniente e perfeitamente viável.

Elevado valor biológico

O ovo é uma das fontes de proteínas de valor biológico mais elevado (100), sendo ultrapassado apenas pela proteína whey (104) enquanto a caseína tem um valor biológico inferior (77) , o leite tem um BV de 91 e a carne um BV de 80 (1).

O Valor Biológico (BV) é uma medida da proporção de proteína que é absorvida a partir de um determinado alimento e que é incorporada nas proteínas do corpo humano. Representa a facilidade com que essa proteína digerida pode ser usada na síntese de proteína das células do organismo.

Caso tenha que abandonar o consumo de proteína whey, poderá ser melhor optar por proteína de ovo em detrimento de outras proteínas, principalmente as de origem vegetal, pois observou-se que as proteínas de origem animal proporcionam um maior anabolismo e uma melhoria da composição corporal mais relevante do que as proteínas de origem vegetal (2, 3).

O ovo é rico em nutrientes

Para além de conter uma quantidade significativa de proteína, o ovo é também um dos alimentos mais ricos em nutrientes, e foi comprovado que pode proporcionar uma série de benefícios para a saúde.

No entanto, se deseja aumentar a sua ingestão de proteína sem aumentar também a sua ingestão de gordura, poderá optar por ingerir apenas a clara do ovo, pois esta é praticamente isenta de gordura e de hidratos de carbono (a gordura do ovo encontra-se praticamente toda na gema).

100 gramas de clara de ovo contêm apenas 48 Kcal e proporcionam 11 gramas de proteína de alta qualidade, bem como uma quantidade apreciável de alguns nutrientes importantes, tais como Vitamina B2, Selénio, Magnésio e Potássio (4).

Se optar por ingerir proteína de clara de ovo em pó (Albumina), por cada serviço de 28 gramas irá obter 22,7 gramas de proteína e apenas uma quantidade reduzida de hidratos de carbono (2,2 gramas) (5).

Menor risco de acne

A literatura científica atual revela que o consumo de lacticínios está associado a um agravamento da acne, nomeadamente através dos seus efeitos potenciadores dos níveis hormonais de insulina e de IGF-1 (6, 7, 8).

Muitos não sabem disso, mas a evidência também sugere que a suplementação com proteína de soro de leite pode agravar a acne.

Isso ficou claro num estudo publicado em 2013 verificou-se um aumento significativo da prevalência de acne vulgaris em jovens que praticavam musculação e que ingeriram um suplemento de proteína whey (6).

Verificou-se ainda que esse aumento da acne foi mais forte nas mulheres e naqueles que já sofriam de acne antes de terem iniciado a suplementação com whey.

Tendo em conta este cenário, aqueles que desejam evitar a acne fariam melhor em optar por proteína de ovo em detrimento dos clássicos suplementos de whey protein.

Alergia ao leite

Embora a prevalência de alergia ao ovo também seja elevada, chegando a afectar 1 a 2% das crianças (7), este alimento poderá constituir uma fonte de proteína alternativa e perfeitamente viável para aqueles que sofrem de alergia às proteínas do leite, condição afeta sobretudo as crianças (2 -7,5%), mas também indivíduos adultos (8).

Note também que, a maioria daqueles que sofrem de alergia ao ovo conseguem tolerá-lo bem quando este é cozinhado antes de ser ingerido (9).

De qualquer forma, deveria ingerir cozinhar sempre os seus ovos antes de os ingerir, pois desta forma irá ser capaz de absorver e aproveitar uma maior quantidade de proteína do que se o ingerir crú (10, 11).

Acesso fácil

É bastante fácil adquirir ovos pois encontram-se à venda na maioria das mercearias e supermercados. Para além disso, várias superfícies comerciais também vendem claras de ovo pasteurizadas, em pacote.

Aqueles que vivem no Brasil também poderão encontrar clara de ovo em pó à venda (Albumina Salto´s) em vários estabelecimentos comerciais e não apenas em lojas de suplementos.

Mais confiável

Não são raras as notícias que referem a descoberta de suplementos de proteína contrafeitos, sub-dosados, etc. isso acontece sobretudo no Brasil, mas também na Europa (12). Nesse sentido, optar pela proteína de ovo poderá constituir uma alternativa mais confiável.

Na verdade, um número significativo de treinadores de culturismo e preparadores para competições de culturismo proíbem os seus atletas de ingerir suplementos de proteína em pó, tais como a whey, caseína, e optam por aumentar a ingestão de proteína através de fontes proteicas pobres em gordura, tais como peito de frango e claras de ovo.

Para além disso, a proteína de ovo poderá ser uma melhor opção para aumentar o aporte protéico de atletas de vários desportos, que são sujeitos a controlos anti-doping de forma periódica, pois os suplementos de proteína podem estar contaminados com substâncias proibidas pelas agências anti-doping(13).

Também pode ser usada no pós-treino

Poucos duvidam que a proteína whey, sendo a proteína de absorção mais rápida que existe, seja a melhor opção para incluir na refeição pós-treino, mas a proteína de ovo também pode ser ingerida no final dos treinos, com bons resultados, tal como foi possível observar num estudo publicado em 2008 (14).

Por último, note também que a clara de ovo é um ingrediente bastante versátil que pode ser incluído num grande número de receitas deliciosas.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Quanta proteína é possível absorver por refeição?

Dentre a série de tópicos relativamente controversos englobados no mundo da nutrição temos a questão da quantidade de proteína que o corpo humano consegue absorver no seguimento de uma dada refeição. Relacionado com a mesma temática, temos a questão da definição da quantidade de proteína que idealmente se deve ingerir após a execução de um treino resistido, com vista a maximizar a síntese de proteína muscular. Estudos publicados até há poucos anos concluíram que a ingestão de 20 a 25 g de proteína de boa qualidade (whey, proteína do leite, ou proteína de ovo) após um treino de musculação direcionado à musculatura dos membros inferiores seria o suficiente para maximizar a síntese de proteína muscular em adultos jovens e saudáveis, sendo que em doses superiores os aminoácidos “excedentários” seriam simplesmente oxidados. 1,2   Entretanto, em 2016, os autores Macnaughton et al. 3 verificaram que a suplementação com 40 g de proteína whey após uma sessão de treino de musculação de corpo i

É Melhor Perder Peso de Forma Rápida ou Lenta?

A perda de gordura pode proporcionar vários benefícios para a saúde daqueles que têm excesso de peso. ¹⁻² e é uma necessidade imperativa para atletas de determinados desportos e para aqueles que participam em competições de culturismo e similares.³ No entanto, independentemente do ritmo a que se perde peso, há uma série de consequências negativas que são praticamente impossíveis de evitar. Esses efeitos indesejáveis incluem a diminuição da taxa metabólica basal em repouso,⁴ dos níveis de testosterona,⁵ perda de massa magra,⁶ e diminuição da força muscular.⁷⁻⁸ De forma a minimizar esses efeitos negativos, são muitos aqueles que evitam as dietas mais drásticas, do tipo yo-yo e que, em vez disso, aconselham uma perda de peso lenta, por exemplo, de 0,5 kg de peso corporal, por semana.³ O que diz a ciência? Já foram conduzidos variados estudos que procuraram determinar qual a velocidade de perda de peso que melhor preserva a taxa metabólica, a massa magra, bem como os níveis de testosterona

Qual é a Quantidade de Proteína Ideal para Maximizar a Força e a Massa Muscular?

Tipicamente, os praticantes de musculação almejam obter um físico que, para além de exibir uma percentagem de gordura corporal relativamente baixa, apresente uma musculatura visivelmente desenvolvida, frequentemente ao maior nível possível. Para além destes, e sobretudo com vista a maximizar o seu rendimento, os atletas de desportos de força, assim como os praticantes de outras modalidades desportivas também se interessam particularmente por esta temática.  Neste contexto, os nutricionistas que de algum modo trabalham com estes indivíduos, devem ser capazes de os aconselhar relativamente à quantidade de proteína ideal para maximizar os ganhos de força e de massa muscular, naqueles que executam treino resistido. Será necessária uma dose de proteína superior à recomendada pela EFSA - Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (0,83 g/kg peso)¹ para maximizar os ganhos de força e a hipertrofia muscular em adultos jovens?  Este tópico tem vindo a ser investigado de forma relativame