Avançar para o conteúdo principal

7 Pudins Proteicos Prontos-a-Comer

Não restam dúvidas de que a proteína é o nutriente que tem estado mais em voga nos últimos anos.

Depois da popularização dos iogurtes Skyr e posteriormente de outros lacticínios com teor acrescido de proteína, nomeadamente iogurtes, queijos e bebidas achocolatadas, nos meses mais recentes temos vindo a assistir a uma multiplicação da oferta de pudins enriquecidos com proteína.

Geralmente com um teor reduzido de açúcar e de gordura, estes pudins proteicos afiguram-se como uma alternativa “fit”, mais adequada àqueles que pretendem continuar a desfrutar de uma sobremesa doce, sem sacrificar em demasia o sabor, e que tentam tornar as dietas de restrição energética menos desagradáveis.

Obviamente, estes produtos também representam uma forma fácil de aumentar o aporte proteico, o que pode facilitar tanto o aumento da massa muscular, como a sua manutenção no contexto de um regime alimentar para perda de gordura (hipocalórico).

Zero Protein Pudding - Prozis

Esta foi, provavelmente, o primeiro pudim proteico a ser comercializado em larga escala em Portugal.

Embora o seu sabor e textura sejam agradáveis, não chejam a ser extraordinários, nem este produto está ao nível dos pudins tradicionais.

No entanto, a sua composição nutricional é interessante. Cada copo contém 125 gr de pudim e fornece 18,8 gr de proteína, 3 gr de hidratos de carbono e 3,4 gr de gordura, num valor energético total de 128 Kcal.

Este é o produto mais caro desta lista. Cada pack de 4 copos tem um custo de €,7,99, o que representa €2,00 por copo. Neste caso poderá escolher entre o sabor a chocolate e baunilha.

Encontra-se à venda nos supermercados Continente, Auchan e na loja online da Prozis.

Ehrmann High Protein Pudding

Este pudim proteico da Erhamnn também foi dos primeiros do género a surgir nas prateleiras dos supermercados nacionais.

Cada copo contém 200 gramas de pudim e fornece 20 gr de proteína. Contém ainda 10,4 gr de hidratos de carbono, 3 gr de lípidos e um valor energético de 150 kcal.

Este produto tem a particularidade de não ter adição de açúcar e de ser isento de lactose. Poderá adquiri-lo em 4 variedades diferentes: chocolate, caramelo, café, baunilha e côco.

Pode encontrá-lo à venda no Pingo doce (€1,39), Auchan (€1,69) e Continente (€1,99).

High protein Pudding Milbona

Este pudim proteico da Milbona é praticamente uma cópia do pudim da erhman acima descrito.

O seu sabor e textura, bastante agradáveis, bem como a sua composição nutricional são praticamente idênticos e até se poderia supor que ambos foram produzidos nas mesmas instalações.

Tal como acontece com o pudim proteico da erhamn, também este produto é isento de açúcar adicionado e de lactose.

Onde este pudim proteico realmente se diferencia é no preço, significativamente mais baixo. Tem um custo de €0,99 por unidade e poderá encontrá-lo, obviamente, nos supermercados LIDL.

Em termos de sabores, neste caso apenas poderá optar pelo chocolate e baunilha.

Nestlé Lindahls Protein Pudding

A marca Lindahls da Nestlé é bem conhecida dos fãs dos seus iogurtes e bebidas proteicas. Recentemente esta marca também lançou no mercado um pudim de proteína, disponibilizando os sabores chocolate e baunilha.

Com o selo de qualidade que caracteriza os produtos da Nestlé, trata-se de um produto que agrada bastante ao paladar, tanto em termos de sabor como de textura.

Um copo contém 150 gr de pudim e 15 gr de proteína, 10,2 gr de hidratos de carbono, 0,9 gr de gordura e 111 Kcal.

Está à venda pelo menos nos supermercados Continente e Auchan por €1,59.

Flan Clara De Ovo Reina Rico Em Proteínas

Embora a sua composição se baseie em leite magro e proteínas do leite, este pudim diferencia-se por conter clara de ovo entre os ingredientes principais.

O seu sabor e textura são muito agradáveis e praticamente indistinguíveis dos clássicos pudins de ovo prontos-a-comer.

No respeitante ao aspeto nutricional, uma copo deste pudim (160 gr) contém apenas 106 kcal e fornece 12,8 gr de proteína, 13 gr de hidratos de carbono, sendo isento de gordura.

Encontra-se à venda na cadeia de supermercados Auchan a um custo de €1,99 por pack de 2 pudins, o que representa cerca de 1 euro por copo.

+ Proteína Chocolate Hacendado

Este é produto da Hacendado, uma marca cujos produtos se encontram à venda nos supermercados Mercadona, que se encontram muito expandidos na vizinha Espanha.

Trata-se de uma sobremesa láctea de chocolate, bastante saborosa, que pode ser considerada um pudim proteico.

Um pack de 4 copos de 120 gr custa apenas €1,40, o que torna este o pudim proteico mais económico do conjunto de 7 descritos neste artigo. No entanto, é também dos que contém menos proteína.

Cada copo fornece uns razoáveis 10 gr de proteína, 10 gr de hidratos de carbono, 1,3 gr de gordura e um total de 97 kcal.

Mousse + Proteína Hacendado

Ao contrário dos produtos já mencionados, esta é uma mousse e não um pudim, mas optei por mencionar este produto porque a sua composição nutricional asemelha-se bastante à dos pudins proteicos acima descritos, e representa uma sobremesa alternativa bastante agradável ao paladar.

Alíàs, quem já experimentou esta sobremesa não hesita em afirmar que gostou e pede versões com outros sabores.

Neste momento apenas se encontra disponível o sabor a baunilha, mas em Espanha existe também uma versão em chocolate, e é provável que aqui também venha a haver.

Cada copo contém 200 gr de mousse e fornece uns modestos 10 gr de proteína, 10 gr de hidratos de carbono e 3,6 gr de gordura, com energético de 152 kcal.

Pode encontrá-lo nas prateleiras dos supermercados Mercadona, ao preço de €1,40 por unidade.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Quanta proteína é possível absorver por refeição?

Dentre a série de tópicos relativamente controversos englobados no mundo da nutrição temos a questão da quantidade de proteína que o corpo humano consegue absorver no seguimento de uma dada refeição. Relacionado com a mesma temática, temos a questão da definição da quantidade de proteína que idealmente se deve ingerir após a execução de um treino resistido, com vista a maximizar a síntese de proteína muscular. Estudos publicados até há poucos anos concluíram que a ingestão de 20 a 25 g de proteína de boa qualidade (whey, proteína do leite, ou proteína de ovo) após um treino de musculação direcionado à musculatura dos membros inferiores seria o suficiente para maximizar a síntese de proteína muscular em adultos jovens e saudáveis, sendo que em doses superiores os aminoácidos “excedentários” seriam simplesmente oxidados. 1,2   Entretanto, em 2016, os autores Macnaughton et al. 3 verificaram que a suplementação com 40 g de proteína whey após uma sessão de treino de musculação de corpo i

É Melhor Perder Peso de Forma Rápida ou Lenta?

A perda de gordura pode proporcionar vários benefícios para a saúde daqueles que têm excesso de peso. ¹⁻² e é uma necessidade imperativa para atletas de determinados desportos e para aqueles que participam em competições de culturismo e similares.³ No entanto, independentemente do ritmo a que se perde peso, há uma série de consequências negativas que são praticamente impossíveis de evitar. Esses efeitos indesejáveis incluem a diminuição da taxa metabólica basal em repouso,⁴ dos níveis de testosterona,⁵ perda de massa magra,⁶ e diminuição da força muscular.⁷⁻⁸ De forma a minimizar esses efeitos negativos, são muitos aqueles que evitam as dietas mais drásticas, do tipo yo-yo e que, em vez disso, aconselham uma perda de peso lenta, por exemplo, de 0,5 kg de peso corporal, por semana.³ O que diz a ciência? Já foram conduzidos variados estudos que procuraram determinar qual a velocidade de perda de peso que melhor preserva a taxa metabólica, a massa magra, bem como os níveis de testosterona

Qual é a Quantidade de Proteína Ideal para Maximizar a Força e a Massa Muscular?

Tipicamente, os praticantes de musculação almejam obter um físico que, para além de exibir uma percentagem de gordura corporal relativamente baixa, apresente uma musculatura visivelmente desenvolvida, frequentemente ao maior nível possível. Para além destes, e sobretudo com vista a maximizar o seu rendimento, os atletas de desportos de força, assim como os praticantes de outras modalidades desportivas também se interessam particularmente por esta temática.  Neste contexto, os nutricionistas que de algum modo trabalham com estes indivíduos, devem ser capazes de os aconselhar relativamente à quantidade de proteína ideal para maximizar os ganhos de força e de massa muscular, naqueles que executam treino resistido. Será necessária uma dose de proteína superior à recomendada pela EFSA - Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (0,83 g/kg peso)¹ para maximizar os ganhos de força e a hipertrofia muscular em adultos jovens?  Este tópico tem vindo a ser investigado de forma relativame