Avançar para o conteúdo principal

4 Motivos Para Dormir a Sesta

Dormir uma sesta a meio da tarde é uma sugestão que tem vindo a ser transmitida desde há varias décadas em revistas e também em livros de musculação/fitness.

Como exemplo, Arnold Schwarzenneger era conhecido por realizar sestas na praia de Venice Beach, ao mesmo tempo que apanhava sol; o que também é a melhor forma de obter vitamina D, cuja carência também produz uma diminuição dos níveis naturais de testosterona.

Também há pessoas que sofrem de insónias ou que não dormem o suficiente de noite e que dormem uma sesta ao longo do dia para compensar esse défice de sono.

4 motivos para dormir a sesta

  • Diminui os níveis de hormonas catabólicas: Já foi demonstrado que os indivíduos jovens que não dormem o número adequado de horas à noite têm níveis significativamente mais reduzidos de testosterona (1).

Para piorar a situação, o défice de sono também provoca um aumento dos níveis de duas hormonas relacionadas com o stress, o cortisol e a noradrenalina.

Dormir uma sesta de forma habitual, reduz os níveis de cortisol e de noradrenalina nos indivíduos que não dormem suficiente de horas por noite (2, 3).

  • Aumenta o nível de alerta: Dormir uma sesta, com a duração de 10 a 30 minutos, reduz a sensação de fadiga, restaura o nível de vigília, proporciona mais vigor, uma melhor saúde mental, um aumento da capacidade lógica, do nível de desempenho, da capacidade de aprendizagem e ainda uma diminuição do tempo de reação (4, 5).
  • Reduz o risco de problemas cardiovasculares: Vários estudos sugerem que a privação de sono poderá aumentar o risco de problemas cardiovasculares ao iniciar uma resposta inflamatória e aumentando o nível de calcificação das artérias.

Por outro lado, verificou-se que dormem a sesta com regularidade têm uma menor probabilidade de vir a ter problemas cardiovasculares, especialmente aqueles que trabalhavam por turno (6).

  • É superior à cafeína: As bebidas que contém cafeína são utilizadas com frequência para compensar as noites em que não se dormiu o suficiente, aumentar o nível de alerta e desta forma manter um bom nível de produtividade.

Vários estudos compararam os efeitos de dormir uma sesta contra a ingestão de cafeína e verificaram os benefícios que a sesta proporciona ao nível da vigília e da capacidade mental são menos variáveis, mais notórios e duram mais tempo do que os da cafeína.

Curiosamente, esses mesmos estudos também verificaram que a ingestão de cafeína, em combinação com dormir a sesta, proporciona efeitos superiores a cada um deles por separado, o que poderá ser útil naquelas alturas em que precisamos de estar no nosso melhor (5).

Em que horário se deve dormir uma sesta?

O horário adequado para se dormir a sesta deverá ser estabelecido de acordo com o ritmo circadiano, uma espécie de relógio biológico com 24 horas, que tem um conjunto de funções biológicas e fisiológicas, incluindo a regulação da temperatura corporal, secreção de hormonas e capacidade cognitiva.

Várias investigações sugerem que o período ideal para dormir uma sesta é entre as 15:00 e as 17:00, o que coincide com o período do ritmo circadiano em que a nossa capacidade de alerta se encontra mais diminuída.

Dormir uma sesta em outros períodos do dia, tal como das 19:00 às 21:00, irá ter, muito provavelmente, o efeito contrário, aumentando a sensação de sonolência (5)..

Quanto tempo deve durar uma sesta?

Segundo várias investigações, o período de ideal parece ser de 10 minutos e deve-se evitar dormir mais de 30 minutos, pois tem o efeito contrário ao desejado, aumentando ainda mais a sonolência. Dormir menos de 10 minutos não proporciona quaisquer benefícios.

Embora dormir uma sesta de 10 a 30 minutos proporcione benefícios, dormir 10 minutos proporciona benefícios imediatos (após 5 a 35 min) e superiores a períodos mais longos, como 20 e 30 minutos, que começam por causar sonolência e só mais tarde, 35 a 95 minutos após a sonolência se dissipar, é que proporcionam os benefícios (5)..

Na realidade, o hábito de dormir sestas com uma duração demasiado longa, de forma habitual, está associado a um aumento do risco de morte, especialmente nos indivíduos idosos (4).

Assim sendo, poderá ser boa ideia recorrer a um despertador para o ajudar a acordar e a habituar-se a acordar após as suas sestas de 10 a 30 minutos de duração.

Conclusão

Dormir pouco ou sofrer de défice de sono é uma das formas mais fáceis de reduzir de forma dramática a sua produção natural de testosterona, mesmo em jovens saudáveis do sexo masculino.

É nesse contexto que dormir a sesta pode proporcionar maiores benefícios, proporcionando uma redução dos níveis de hormonas como o cortisol e noradrenalina. No entanto, mesmo as pessoas que dormem o suficiente durante a noite poderão obter benefícios extra.

Embora muitas pessoas não tenham um estilo de vida que lhes permita fazer pausas para dormir 10 a 30 minutos, durante a tarde, aqueles que têm disponibilidade podem e devem fazê-lo, pois proporciona vários benefícios, que se irão traduzir numa maior produtividade, qualidade de vida e até, possivelmente, em mais saúde e maior longevidade.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Quanta proteína é possível absorver por refeição?

Dentre a série de tópicos relativamente controversos englobados no mundo da nutrição temos a questão da quantidade de proteína que o corpo humano consegue absorver no seguimento de uma dada refeição. Relacionado com a mesma temática, temos a questão da definição da quantidade de proteína que idealmente se deve ingerir após a execução de um treino resistido, com vista a maximizar a síntese de proteína muscular. Estudos publicados até há poucos anos concluíram que a ingestão de 20 a 25 g de proteína de boa qualidade (whey, proteína do leite, ou proteína de ovo) após um treino de musculação direcionado à musculatura dos membros inferiores seria o suficiente para maximizar a síntese de proteína muscular em adultos jovens e saudáveis, sendo que em doses superiores os aminoácidos “excedentários” seriam simplesmente oxidados. 1,2   Entretanto, em 2016, os autores Macnaughton et al. 3 verificaram que a suplementação com 40 g de proteína whey após uma sessão de treino de musculação de corpo i

É Melhor Perder Peso de Forma Rápida ou Lenta?

A perda de gordura pode proporcionar vários benefícios para a saúde daqueles que têm excesso de peso. ¹⁻² e é uma necessidade imperativa para atletas de determinados desportos e para aqueles que participam em competições de culturismo e similares.³ No entanto, independentemente do ritmo a que se perde peso, há uma série de consequências negativas que são praticamente impossíveis de evitar. Esses efeitos indesejáveis incluem a diminuição da taxa metabólica basal em repouso,⁴ dos níveis de testosterona,⁵ perda de massa magra,⁶ e diminuição da força muscular.⁷⁻⁸ De forma a minimizar esses efeitos negativos, são muitos aqueles que evitam as dietas mais drásticas, do tipo yo-yo e que, em vez disso, aconselham uma perda de peso lenta, por exemplo, de 0,5 kg de peso corporal, por semana.³ O que diz a ciência? Já foram conduzidos variados estudos que procuraram determinar qual a velocidade de perda de peso que melhor preserva a taxa metabólica, a massa magra, bem como os níveis de testosterona

Qual é a Quantidade de Proteína Ideal para Maximizar a Força e a Massa Muscular?

Tipicamente, os praticantes de musculação almejam obter um físico que, para além de exibir uma percentagem de gordura corporal relativamente baixa, apresente uma musculatura visivelmente desenvolvida, frequentemente ao maior nível possível. Para além destes, e sobretudo com vista a maximizar o seu rendimento, os atletas de desportos de força, assim como os praticantes de outras modalidades desportivas também se interessam particularmente por esta temática.  Neste contexto, os nutricionistas que de algum modo trabalham com estes indivíduos, devem ser capazes de os aconselhar relativamente à quantidade de proteína ideal para maximizar os ganhos de força e de massa muscular, naqueles que executam treino resistido. Será necessária uma dose de proteína superior à recomendada pela EFSA - Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (0,83 g/kg peso)¹ para maximizar os ganhos de força e a hipertrofia muscular em adultos jovens?  Este tópico tem vindo a ser investigado de forma relativame