Avançar para o conteúdo principal

4 Adoçantes Naturais que são Saudáveis

Embora se fale muitas vezes dos potenciais efeitos negativos que a maioria dos adoçantes pode ter na saúde, na verdade existem alguns adoçantes naturais que são perfeitamente seguros para ingerir.

Estes adoçantes contêm muito poucas calorias, não fazem mal à saúde, são pobres em frutose e têm um sabor muito doce.

Aqui tem 4 adoçantes naturais que na verdade são saudáveis.

Stevia

O Stevia é um dos adoçantes mais populares. É extremamente doce e ao mesmo tempo é praticamente isento de calorias. É extraído a partir das folhas de uma planta chamada Stevia rebaudiana.

Esta planta tem vindo a ser usada como adoçante e por motivos medicinais desde há séculos pelos índios da América do Sul.

As folhas do Stevia contêm muitos compostos doces, sendo que os principais são o Stevioside e Rebaudioside A. Ambos são muito mais doces do que o açúcar, grama por grama.

Este adoçante pode proporcionar vários benefícios para saúde. Aqui estão alguns:

Quando a tensão arterial se encontra elevada, o Stevia pode reduzi-la entre 6 a 14%. No entanto, não tem nenhum efeito na tensão arterial normal ou apenas ligeiramente elevada (1,2,3).

Também foi comprovado que o Stevia reduz os níveis de açúcar no sangue de indivíduos que sofrem de diabetes (4).

O Stevia também pode aumentar a sensibilidade à insulina, reduzir os níveis de colesterol LDL oxidado e o aumento da placa nas artérias (5,6).

Se precisar de adoçar algo, então o Stevia poderá ser a escolha mais saudável, mas algumas pessoas não apreciam o sabor do Stevia. Poderá ter que experimentar várias marcas até encontrar alguma que goste.

Xarope de yacon

O xarope de yacon é um adoçante que tem vindo a tornar-se cada vez mais popular. É produzido a partir da panta de yacon que cresce de forma nativa nos Andes, na América do Sul.

Este adoçante tem vindo a ser promovido como suplemento para perda de peso, porque um estudo verificou que provocou uma perda de peso significativa em mulheres com excesso de peso (7).

Este xarope é muito rico em que funcionam como fibra solúveis que alimentam as bactéricas benéficas que temos nos intestinos (8.9).

O xarope de yacon pode ajudar a aliviar a obstipação e proporcionar vários benefícios para a saúde devido à sua quantidade elevada de fibra solúvel (10). No entanto, não ingira uma quantidade demasiado grande de uma só vez, pois também pode provocar vários problemas digestivos.

Xilitol

O xilitol é um álcool de açúcar com um sabor e nível de doçura muito semelhante ao açúcar de cana. Contem 2.4 calorias por grama, ou cerca de 2/3 do valor calórico do açúcar.

O xilitol parece proporcionar alguns benefícios para a saúde dentária, reduzindo o risco de cáries e de deterioração dentária (11,12).

Também pode aumentar a densidade óssea, ajudando assim a prevenir a osteoporose (13).

Este adoçante não aumenta os níveis de açúcar no sangue nem os níveis de insulina (14). No entanto, e tal como acontece com outros tipos de álcool de açúcar, também pode provocar problemas digestivos quando se ingerem doses elevadas.

Nota: Mantenha este adoçante fora do alcance de cães, pois é altamente tóxico para eles (15).

Eritritol

Este adoçante é um álcool de açúcar que se encontra de forma natural em alguns frutos. No entanto, o eritritol em pó que se encontra à venda é sintetizado a partir de processos industriais.

Contem 0.24 calorias por grama, ou apenas cerca de 6% das calorias do açúcar. Ao mesmo tempo, tem um sabor 70% mais doce do que o açúcar.

O eritritol não provoca o aumento dos níveis de açúcar no sangue nem dos níveis de insulina. Para além disso também tem qualquer influência nos níveis de colesterol ou de triglicerídeos (16,17).

É absorvido no corpo a partir dos intestinos, mas acaba por ser excretado a partir dos rins sem ter sofrido nenhum tipo de alteração química (18).

Os estudos realizados até hoje mostram que o eritritol é seguro para consumo. No entanto, tal como acontece com outros tipos de álcool de açúcar, este também pode provocar problemas digestivos se consumir uma grande de uma só vez (19,20).

O eritritol tem um sabor muito parecido com o do açúcar. Embora não possa afirmar que faz bem à saúde, também não a parece prejudicar em nenhum sentido e parece ser melhor tolerado do que a grande maioria dos restantes tipos de álcool de açúcar.

Outros açúcares “menos maus”

Existem vários outros substitutos do açúcar refinado que as pessoas preocupadas com a saúde ingerem. Isto inclui o açúcar de coco, açúcar mascavado, mel e xarope de ácer.

A verdade é que esses adoçantes podem conter quantidades ligeiramente mais reduzidas de frutose e pequenas quantidades de nutrientes, mas o seu corpo não irá notar grande diferença.

Todo o açúcar que ingere irá chegar aos intestinos, onde será dividido em glucose e frutose e posteriormente irá chegar ao fígado.

O seu fígado não sabe (nem se preocupa) com a proveniência desse mesmo açúcar, se ele é orgânico ou não. Tenha isso em atenção antes de começar a ingerir grandes quantidades desses açúcares "saudáveis".

Num contexto de uma dieta saudável, baseada em alimentos não processados, a inclusão de pequenas quantidades dos quatro adoçantes que referimos no início do artigo, não deverá representar qualquer problema.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Quanta proteína é possível absorver por refeição?

Dentre a série de tópicos relativamente controversos englobados no mundo da nutrição temos a questão da quantidade de proteína que o corpo humano consegue absorver no seguimento de uma dada refeição. Relacionado com a mesma temática, temos a questão da definição da quantidade de proteína que idealmente se deve ingerir após a execução de um treino resistido, com vista a maximizar a síntese de proteína muscular. Estudos publicados até há poucos anos concluíram que a ingestão de 20 a 25 g de proteína de boa qualidade (whey, proteína do leite, ou proteína de ovo) após um treino de musculação direcionado à musculatura dos membros inferiores seria o suficiente para maximizar a síntese de proteína muscular em adultos jovens e saudáveis, sendo que em doses superiores os aminoácidos “excedentários” seriam simplesmente oxidados. 1,2   Entretanto, em 2016, os autores Macnaughton et al. 3 verificaram que a suplementação com 40 g de proteína whey após uma sessão de treino de musculação de corpo i

É Melhor Perder Peso de Forma Rápida ou Lenta?

A perda de gordura pode proporcionar vários benefícios para a saúde daqueles que têm excesso de peso. ¹⁻² e é uma necessidade imperativa para atletas de determinados desportos e para aqueles que participam em competições de culturismo e similares.³ No entanto, independentemente do ritmo a que se perde peso, há uma série de consequências negativas que são praticamente impossíveis de evitar. Esses efeitos indesejáveis incluem a diminuição da taxa metabólica basal em repouso,⁴ dos níveis de testosterona,⁵ perda de massa magra,⁶ e diminuição da força muscular.⁷⁻⁸ De forma a minimizar esses efeitos negativos, são muitos aqueles que evitam as dietas mais drásticas, do tipo yo-yo e que, em vez disso, aconselham uma perda de peso lenta, por exemplo, de 0,5 kg de peso corporal, por semana.³ O que diz a ciência? Já foram conduzidos variados estudos que procuraram determinar qual a velocidade de perda de peso que melhor preserva a taxa metabólica, a massa magra, bem como os níveis de testosterona

Qual é a Quantidade de Proteína Ideal para Maximizar a Força e a Massa Muscular?

Tipicamente, os praticantes de musculação almejam obter um físico que, para além de exibir uma percentagem de gordura corporal relativamente baixa, apresente uma musculatura visivelmente desenvolvida, frequentemente ao maior nível possível. Para além destes, e sobretudo com vista a maximizar o seu rendimento, os atletas de desportos de força, assim como os praticantes de outras modalidades desportivas também se interessam particularmente por esta temática.  Neste contexto, os nutricionistas que de algum modo trabalham com estes indivíduos, devem ser capazes de os aconselhar relativamente à quantidade de proteína ideal para maximizar os ganhos de força e de massa muscular, naqueles que executam treino resistido. Será necessária uma dose de proteína superior à recomendada pela EFSA - Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (0,83 g/kg peso)¹ para maximizar os ganhos de força e a hipertrofia muscular em adultos jovens?  Este tópico tem vindo a ser investigado de forma relativame